8.4.10

Não violência contra a mulher



Recentemente fiz um trabalho voluntário na ONG Casa Cidinha Kopcak localizada na zona leste de São Paulo a qual realiza um trabalho social e psicológico com mulheres que sofrem agressão (física, verbal e psicológica). Agressão essa que se instala na maioria das vezes no próprio lar.
A casa é composta por uma equipe multidisciplinar que conta com Psicóloga, Assistente Social, Advogada e profissionais que oferecem gratuitamente palestras, atendimentos, cursos livres (Bijouterias, Manicure, Pedicu.re, dentre outros) com o principal objetivo de libertar a mulher da situação de agressão, resgatando a sua auto-estima, amor próprio e profissionalizando-a para que antes mesmo de sair da situação de agressão, essa mulher tenha condições de se manter em todos os aspectos (psicológico, social, econômico....) e de manter muitas vezes os filhos, que geralmente vivenciam com essa mãe a situação de agressão.
Esse trabalho me proporcionou uma experiência riquissíma.
Conhecer o sofrimento do outro é algo muitas vezes impactante, pois, as marcas, o olhar triste, a expressão apavorante, o medo revelam muito mais do que as palavras. A maioria delas chega no grupo calada, silenciada pela agressão, mas é no grupo que elas se encontram, se identificam através das histórias e experiências de outras mulheres e passam a revelar mais de si e de seu sofrimento.
A força e o desejo que elas têm em querer se libertar dessa situação de agressão é muito maior do que qualquer marca ou medo. É uma força que as motiva cada vez mais a buscar a auto-estima, a independência, o poder de decisão, a realização de sonhos, a felicidade.
Com essa vivência, percebo que eu fui a pessoa quem mais ganhou, pois conhecer o sofrimento vivido por cada uma delas e as condições que levaram à serem agredidas (álcool e drogas na maioria das vezes, porém, a minoria ainda é agredida sem motivos) proporcionam um rico aprendizado no qual transformou o meu olhar, a minha visão com relação à vida. Essa visão passou a ter um vínculo muito maior com a valorização, com o respeito, com o reconhecimento e com o amor.
Agradeço de coração à Casa Cidinha Kopcak por ter me recebido nesse trabalho, à Rosemeire, psicóloga da casa que com tanta dedicação e amor, contribui para a recuperação dessas mulheres.
Finalizo esse texto com indicação de alguns vídeos que abordam a questão da violência e que fica aqui como um Protesto, uma Manifestação pela Não Violência contra a mulher, seja qual for a sua forma.

http://www.youtube.com/watch?v=EKGpezWaO6E&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=oNFRg0bPBdc

http://www.youtube.com/watch?v=LXAPZ5qzhN4&feature=related

Vamos ajudar a divulgar Ongs que assim como a Casa Cidinha Kopcak se mobilizam para mudar o quadro de violência em nosso país.
Disque denúncia: 180.
Não se cale!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Indicação de livros

  • A Arte Da Guerra - Sun Tzu
  • A cura de Schopenhauer - Irvin D. Yalom
  • Heróis de Verdade - Roberto Shinyashiki
  • O guardião de memórias - Kim Edwards
  • Quando Nietzsche Chorou - Irvin D. Yalom
  • Você é Insubstituível - Augusto Cury

Vídeos

Loading...

Amigos