22.1.09

Conhece-te a ti mesmo

Já dizia Sócrates: "Conhece-te a ti mesmo, torna-te consciente de tua ignorância e será sábio".
Mas o que isso quer dizer?
Sócrates questionava as pessoas com o objetivo de fazê-las pensar e refletir seus valores para chegar ao caminho da verdade. A verdade que há dentro de cada indivíduo, capaz de transformar e promover a autotranscendência.
É o ato de conhecimento. O autoconhecimento que nos equilibra, nos mostra quem somos e nós dá ferramentas para lidar conosco, com os outros e com o mundo.
Esse ato de conhecimento é nada mais que um exame de consciência. Pensar em situações relevantes do seu dia: suas atitudes, suas ações, suas reações, os encontros do dia, as conversas, as decisões e avaliar se você foi a pessoa que gostaria de ter sido, se agiu conforme gostaria de ter agido e que conseqüências tais ações promoveram e se isso foi positivo ou negativo. A partir daí encontrar meios para lidar com tais situações, mantendo uma postura, uma posição ou corrigindo aquilo que foi incoerente, injusto ou que não condiz com o que você gostaria.
E não saber lidar conosco contribui para não sabermos lidar com pessoas e nos relacionar com o mundo.
No momento em que você olha para dentro de si e expande essa visão de quem você é e de suas atitudes, você coloca atenção para não agir da mesma forma e assume uma postura diferente para realizar algo. Isso é aprender a lidar consigo. Aprenda a lidar com você para então lidar com os outros. E para lidar com os outros é necessária a disposição em conhecer o outro, saber quem ele é e quais são suas verdades.
Esse caminho é o que se denomina EU + VOCE = NÓS.
EU vou ao encontro do outro (VOCÊ) e o nó que se ata nesta relação promove o nascimento de uma terceira pessoa: NÓS.
Se o NÓS promove bem-estar, alegria, tranqüilidade, amor, carinho, respeito significa que o que o outro derrama sobre você, lhe desperta o que há de melhor em si, portanto, o encontro EU + VOCÊ foi bem sucedido porque você aprendeu a conhecer-se e a conhecer o outro.
Se o NÓS promove raiva, tristeza, angústia, medo, ódio, significa que o que o outro derrama sobre você lhe desperta o que há de pior em si e muitas vezes esse nó não foi atado por falta de conhecimento (de si e em relação ao outro). Por isso há necessidade de fazer uma auto-análise, para encontrar-se, conhecer-se e dispor a conhecer o outro para então ter a certeza se esse “nó” deve ser atado ou não.
Portanto, reflita, leia o seu manual de instruções e descubra quem é você, como você funciona para então ser bem sucedido na relação com o outro e com o mundo.

Um comentário:

  1. Oi Dri, deixei uma brincadeira pra vocês lá no meu blog, passa lá e dá uma olhada. Ou clica no link
    http://paulo-k.blogspot.com/2009/01/seis-coisas-e-seis-links.html

    ResponderExcluir

Indicação de livros

  • A Arte Da Guerra - Sun Tzu
  • A cura de Schopenhauer - Irvin D. Yalom
  • Heróis de Verdade - Roberto Shinyashiki
  • O guardião de memórias - Kim Edwards
  • Quando Nietzsche Chorou - Irvin D. Yalom
  • Você é Insubstituível - Augusto Cury

Vídeos

Loading...

Amigos